quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Nota de repúdio da Juventude Marxista contra a desocupação da Reitoria da UFPE



Jojó de Carvalho

Na última quinta-feira (08/10), foi cumprida a reintegração de posse da reitoria da UFPE. O saldo da desocupação foi de vários manifestantes feridos e outros detidos pela polícia federal, que a mando do reitor, Anísio Brasileiro, retirou com truculência desproporcional os estudantes que estavam ocupando o local. 

A reintegração se deu no momento em que a comissão de direitos humanos da UFPE intermediava o dialogo entre a reitoria e os estudantes. Quando os estudantes estavam esperando a resposta da reitoria, a polícia Federal em conjunto com o batalhão de choque da policia militar entraram na reitoria agredindo os ocupantes com gás de pimenta e cassetetes. 

A pauta do movimento era que houvesse uma reunião do conselho universitário que pautasse a homologação ou não do estatuto do qual foi construído democraticamente entre os três segmentos da universidade (estudantes, técnicos e professores). O novo estatuto trás vários avanços, sendo o principal deles a paridade no conselho universitário. Em nenhum momento a reitoria se mostrou disposta a negociar, chegando a alegar que a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da educação nacional), inviabilizava a paridade no conselho universitário. É necessário lembrar que segundo a LDB os professores deveriam ter peso de 70% nas eleições para reitores, mas os técnicos e estudantes conseguiram passar por cima dessa medida e a paridade nas eleições para reitores está presente em várias universidades federais do país. 

A Juventude Marxista externa repúdio à atitude ditatorial do reitor Anisio Brasileiro, em se negar a dialogar com os manifestantes, chegando ao ponto de mandar cortar a água e a energia elétrica da reitoria, além de mandar a PF massacrar e prender os estudantes que lá estavam. A luta por uma educação pública, gratuita e para todos também passa pela participação paritária dos segmentos nas instâncias deliberativas das universidades.

A luta continua! 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com