domingo, 23 de novembro de 2014

Estudantes Britânicos vão às ruas por educação pública, gratuita e para todos!

Pedro Bernardes Neto

No dia 19 de novembro milhares de estudantes britânicos realizaram a maior marcha nos últimos 4 anos em Londres contra os cortes na educação e por educação pública e gratuita a todos. Jovens de mais de 40 cidades se reuniram nesse protesto. Este é o início de mais uma série de lutas, com mais marchas previstas para o início de dezembro (1). Os estudantes foram reprimidos, mas conseguiram romper as barreiras policias e alcançar a Praça do Parlamento Britânico colocando suas reivindicações. Mesmo assim, ainda quatro manifestantes foram presos. A Federação de Estudantes Marxistas
 estava presente representando a necessidade da luta por estatização sem indenização das instituições educacionais como única alternativa para os trabalhadores e estudantes. 





A Federação de Estudantes Marxistas da Grã-Bretanha  defendeu as pautas avançadas que necessita o movimento e contra medidas como a “aumento progressivo do imposto”, ou seja, impor maiores taxas de imposto aos ricos para bancar educação pública. De acordo com o coletivo marxista:


Pedir ao governo para tributar os mais ricos significa deixar todas as cartas nas mãos da elite burguesa. Significa pedir-lhes, em meio a uma crise econômica em que os seus interesses estão seriamente ameaçados, para agir contra esses interesses e em nome dos estudantes. Esta não parece ser uma perspectiva realista.” (2)


Assim como todos os militantes da Corrente Marxista Internacional, defendemos a educação pública a gratuita a todos, a expropriação SEM INDENIZAÇÃO de todas as instituições privadas que recebem dinheiro público. Vivemos uma crise estrutural do capitalismo e somente a organização e luta podem dar uma saída aos trabalhadores e juventude. Assim, os marxistas assim se posicionam na luta pela educação pública, em combate direto contra as políticas reformistas:

Os estudantes marxistas vão aderir à manifestação pela educação gratuita em 19 de novembro e nós vamos discutir a expropriar dos patrões sem compensação. Discutiremos que a classe trabalhadora precisa tomar a economia e o poder político em suas próprias mãos, a fim de proporcionar uma educação decente, serviços públicos e os padrões de vida para todos. Em suma, estaremos defendendo a revolução como a melhor maneira de conseguir a reforma. Nossas demandas são modestas - defendemos a educação gratuita e decente como parte de uma sociedade em que os benefícios do desenvolvimento econômico possam ser apreciados por todos. O capitalismo, pela sua própria natureza, não pode proporcionar isso, é só uma revolução socialista que mantém um futuro melhor para a nossa geração.” (2)


No Brasil devemos ampliar nossa organização pelo combate ao reformismo. Com as traições da direção do Partido dos Trabalhadores que, em especial no campo da educação, já sinaliza mais privatização da educação pública, com mais investimentos do governo federal na iniciativa privada com a aprovação do PNE, a unificação e ampliação da nossa organização é a única saída. 

Convidamos a toda juventude e trabalhadores para o 1º Acampamento Revolucionário da Campanha “Público, Gratuito e para Todos: Transporte, Saúde e Educação! Abaixo a Repressão!” a se juntarem a nós e combater por essa nova sociedade. Mais do que isso a Esquerda Marxista também convoca a todos para a discussão de uma Frente da Esquerda Unida que possa significar uma alternativa socialista e revolucionária à classe trabalhadora.

Junte-se a nós!


Campanha Público, Gratuito e para Todos: https://www.facebook.com/profile.php?id=353958708081207


Fontes:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com