terça-feira, 28 de outubro de 2014

PELA REVOGAÇÃO IMEDIATA DAS SUSPENSÕES AOS ESTUDANTES DA UNESP!!

Pedro Bernardes Neto - militante da Juventude Marxista

            Em julho de 2013, pela segunda vez em menos de um mês, os estudantes da UNESP ocupavam a REItoria desta universidade para garantir bolsas, restaurantes universitários, moradias estudantis, democracia nos órgão colegiados e fim das sindicâncias contra estudantes. Esse movimento foi reprimido com a Tropa de Choque da PM, que manteve os estudantes – sem mandado – por cincos horas em DP da região central de São Paulo. A partir disso, iniciou-se uma forte repressão com abertura de processos administrativos contra os estudantes que constavam no inquérito aberto nessa ação policial. No dia 22/10/2014, apareceu no Diário Oficial do Estado de São Paulo a decisão da REItoria: suspensão de 60 dias aos 95 estudantes, demonstrando novamente o caráter absolutamente autoritário desta sociedade e da REItoria da UNESP. 



             O regimento da UNESP foi feito na Ditadura Militar e não acompanhou a nova constituição estabelecida em 1988. Assim, essas acusações não condizem com a realidade democrática vivida hoje e são, assim, inconstitucionais. Mesmo as acusações quanto à “praticar atos que atentem contra o patrimônio científico, cultural e material da Unesp” são inverídicas, pois existem vídeos que comprovam que foi a PM que quebrou o patrimônio material da UNESP. Vale ressaltar ainda, que a acusação se baseia no inquérito policial aberto no dia da reintegração de posse. Porém, estudantes que não constam em tal inquérito foram sindicados da mesma forma demonstrando o verdadeiro caráter dessas sindicâncias, de perseguição política aos estudantes que lutam por direitos.
            Essa condenação conta com VÁRIOS equívocos jurídicos, punindo inclusive pessoas que nem sequer estavam na ocupação no momento da prisão realizada pela Tropa de Choque. A fragilidade da condenação e incompetência de quem a realizou fica ainda mais óbvia quando no Diário Oficial constam nomes de estudantes já formados e de outros, inclusive, jubilados. Está claro que se trata de uma perseguição política contra aqueles que lutam por direitos e por uma universidade pública, gratuita e para todos. Eles querem dar o exemplo para que os estudantes se sintam intimidados ao lutar.
            Essas suspensões simplesmente destruirão a vida acadêmica dos estudantes, muitos têm mestrado, doutorado, e outros já o tinham garantido para o próximo ano e tudo por lutar por uma universidade melhor.
            A Juventude Marxista manifesta seu total e irrestrito apoio aos estudantes da UNESP. Também impulsionamos o PL já apresentado ao Congresso Nacional, na câmara dos deputados, pela anistia de todos os processados e condenados por lutarem pelos direitos básicos garantidos na Constituição e a causa da UNESP tem total relação com a luta de todos os movimentos sociais, que sofrem diariamente com a repressão do Estado Burguês.

NINGUÉM FICA PARA TRÁS!

REVOGAÇÃO IMEDIATA DAS 95 SUSPENSÕES AOS ESTUDANTES DA UNESP!

PELO FIM DA REPRESSÃO À LUTA ESTUDANTIL!

ABAIXO A REPRESSÃO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com