quinta-feira, 26 de junho de 2014

Grécia: a intervenção da juventude marxista em tempos de crise econômica

           
Autor: Pedro Bernardes Neto

Abaixo segue entrevista com Patroklos Psaltis, estudante Marxista da Tendência Comunista do SYRIZA, da Grécia. Nas poucas linhas que seguem, ele divide brevemente com os leitores como é ser militante marxista no movimento estudantil de Atenas. Atuando desde a escola secundária, à Universidade e Conselhos de bairro, ele tem rica experiência sobre o trabalho com a juventude estudantil e trabalhadora. Em um momento de crise econômica profunda, onde 60% da juventude grega sofre com o desemprego e a empregada com as políticas de austeridade, a intervenção dos marxistas vem ganhando ainda mais notoriedade, o que torna nossas ações ainda mais necessárias. 
O foco aqui trata de como o trabalho da Corrente Marxista Internacional vem sendo desenvolvido em Atenas e quais ações tem sido realizadas para a efetividade da difusão do Marxismo e da construção de uma forte organização não só na Grécia, mas em nível mundial, que lute pelo interesse da classe trabalhadora, pela constituição do Estado Operário e pela Revolução Socialista mundial. Assim, trata-se de uma breve, mas importante entrevista sobre sua experiência militante, que o Camarada decidiu compartilhar com os leitores da Juventude Marxista.

Sobre: Patroklos Psaltié um estudante universitário de Atenas, na Grécia. Ele é um membro da Juventude do Partido da Esquerda SYRIZA, e de sua tendência comunista revolucionária, que é a seção grega da Corrente Marxista Internacional (CMI). Ele está no conselho editorial do "Epanastasi" (significa Revolução), o jornal da Tendência. Ele também é ativo no movimento de juventude e, especialmente, o movimento dos estudantes universitários nos últimos anos, e foi eleito no sindicato dos estudantes de Física da universidade.



1 - Como você conheceu o marxismo?                 

P.P.:  Eu conheci o marxismo através da CMI. Antes disso, eu só tinha uma impressão muito vaga de suas idéias fundamentais, e eu também fui influenciado pelo anarquismo.

2 - Como você decidiu entrar na organização?

P.P.: Eu conheci os camaradas da CMI quando eu era um estudante da escola em 2006, mas tomei a decisão de fazer parte um ano mais tarde, durante o meu primeiro ano na universidade. Ao participar no grande movimento dos estudantes universitários de 2006-07, eu percebi a exatidão das idéias marxistas genuínas e análise e dos slogans e métodos da organização.

3 – Em quais lutas você esteve em quando entrou na CMI?

P.P: Eu estive nos movimentos juvenis, como a estudantes universitários movimento de 2006-07, a insurreição da juventude de 2008 e todos os anti-memorandos (anti-memoranda) e as mobilizações contra o governo desde 2010. Também me destaquei como um candidato para SYRIZA Conselho Local do meu bairro nas duas últimas eleições locais. Eu tenho sido um membro da Campanha "Tirem as Mãos da Venezuela" da campanha, e da Tendência Comunista da SYRIZA, que está lutando para a adoção de políticas socialistas, revolucionárias para o SYRIZA.

4 – Em quais eventos da CMI você participou e como funcionam?

P.P.: Já participei de duas Escolas de Verão IMT e da maioria das escolas de formação marxista organizadas pela tendência comunista na Grécia. Estes eventos têm sido uma grande oportunidade para a discussão sobre as idéias marxistas, de um alto nível político. Para mim, e acredito que para todos que participam, eles são altamente informativos e educativos. Mas é muito mais que isso, pois estas reuniões são baseadas no estudo de todos os companheiros sobre o assunto de cada discussão, que contribuem fazendo a abertura ou intervindo durante a discussão.

5 – Vocês têm um jornal, material especialmente sobre e para a juventude?

P.P.: Há o jornal para os estudantes da escola chamado "Revolution". Estamos também pensando em lançar um trabalho para estudantes universitários.

6 - Se sim, como os jovens do seu país podem obtê-lo?

P.P.: "Revolução" é vendido fora das escolas, em muitos bairros de Atenas e em todos os grandes eventos juvenis. Há também o blog (revolution-students.blogspot.gr) onde os artigos e informações sobre as nossas atividades são publicados.

7 – A partir da crise econômica a juventude ficou mais aberta ao debate do marxismo?

P.P.: A queda dos padrões de vida da população causados ​​pela crise do capitalismo, destruiu maciçamente suas ilusões, levando-os a tirar conclusões radicais. Isto é especialmente verdadeiro para a juventude. Os jovens estão, mais do que nunca, abertos a discutir sobre as idéias revolucionárias do marxismo e da necessidade de derrubar o capitalismo.

8 - Vocês têm alguma campanha especialmente para a Juventude?

P.P.:  Nós lançamos a campanha "Juventude contra o capitalismo", que apresenta as principais reivindicações transitórias para a escola, universidade e juventude trabalhadora. O jornal "Revolução" é parte da atividade dos alunos da escola que participam nesta campanha.

9 - Onde vocês fazem essas reuniões (lugares públicos?)?

P.P.: Temos realizado reuniões públicas do jornal de nossa tendência ("Epanastasi") ou da "Juventude contra o capitalismo" com campanha em bairros e universidades em Atenas e em outras cidades e também no maior corpo docente da escola de Atenas, onde também realizamos um cine-debate ("Diários de Motocicleta"). Algumas das reuniões também foram realizadas em nossa sede. Os temas discutidos foram: Socialismo e Capitalismo, Juventude e Revolução, a economia marxista, Materialismo Dialético, Materialismo Histórico, os desenvolvimentos na Ucrânia, a Revolução na Venezuela, as conclusões das eleições européias e as Perspectivas Mundiais.

10 - Como vocês as promovem?

P.P.: Estas reuniões públicas são anunciadas em nosso jornal e no site, e também usamos folhetos e cartazes, especialmente para aquelas reuniões que são realizadas em bairros, escolas e universidades.  

11 - Eles estão principalmente no ensino médio ou universidade? Qual a média de idade deles?

P.P.: A juventude é em sua maioria formada por estudantes universitários e jovens trabalhadores, tendo as pessoas idade entre 20 e 30 anos. Mas há muitas vezes os alunos da escola (secundária) que participam também.

12 - No que diz respeito aos jovens da Universidade, de que os cursos são?

P.P.: Os estudantes universitários são, principalmente, das universidades que intervêm dentro, isto é, Faculdade de Direito, Literatura, Ciências Políticas e Ciências Naturais.

13 -  Qual a principal atividade da juventude em seu condado hoje em dia? Como a nossa organização se conecta com ele?

P.P.: Nos últimos cinco anos, temos vivido um refluxo geral do movimento da juventude.  Não há grandes mobilizações, em especial para os estudantes universitários, durante este tempo. Isto, obviamente, não muda o fato de que o jovem ainda está "na linha da frente" do desenho de conclusões revolucionárias, assim, nos preparamos para nos mover em uma escala maciça no próximo período. As mobilizações mais notáveis ​​do último período foram provavelmente um curto período de ocupações universitárias em 2011, que não foram combinadas com grandes manifestações, e outro curto período de ocupações de escolas. No início deste ano também tivemos as grandes manifestações que se seguiram ao assassinato de um jovem ativista (Pavlos Fissas) jogado por membros do Aurora Dourada (organização Fascista Grega). Participamos e intervimos politicamente em todas as mobilizações, nas assembléias dos estudantes universitários, etc e conseguimos nos conectar com um número relativo de jovens.

14 - Você poderia compartilhar como é a experiência de intervir politicamente em suas frentes (dificuldades e avanços)?

P.P.:  Uma das dificuldades é a falta de um grande movimento da juventude, durante anos, como mencionado. Mas com a intervenção constante em escolas, universidades e bairros, conseguimos reunir e discutir as nossas ideias com jovens militantes. Como eu disse, tem havido um aumento do interesse dos jovens para as idéias revolucionárias. Desta forma, fomos capazes de fazer os passos importantes mencionadas acima, como o lançamento da campanha de juventude, o jornal do estudante na escola, e as reuniões públicas e escolas marxista. O próximo alvo importante é organizar um festival sucessivo da campanha da juventude, com discussões políticas, concertos de música, fotografia política ou exposições de desenhos animados, etc.

15 - Onde posso encontrar notícias sobre o movimento dos jovens em seu país e em Inglês?

P.P.:  Embora existam muitos artigos e informações sobre o movimento da juventude na Grécia, infelizmente elas são raramente traduzidas em Inglês. Eu acho que a única maneira de alguém para ler as notícias, em geral, sobre a Grécia, em uma base regular, é através das versões em inglês de imprensa burguesa grega. Claro, pode haver outras fontes que não estou ciente. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com