quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Abaixo ao racismo dentro e fora dos campos!


Francisco Aviz
--------------------------

Infelizmente, mais uma e não a última vez, o futebol foi afetado com o nojento e premeditado racismo.

O atual campeão brasileiro, Cruzeiro, foi até o Peru disputar a primeira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América, contra o Real Garcilaso e viu seu jogador, Tinga, sofrer os insultos da torcida peruana.

Essa foi à segunda vez que Tinga é hostilizado durante um jogo na sua vitoriosa carreira, por passagens marcantes no Grêmio, Inter e Borussia Dortmund, da Alemanha. A outra vez que foi xingado por torcedores foi em Caxias do Sul (RS), em uma partida entre Juventude e Internacional.



Bem, já vimos essa horrível situação inúmeras vezes nos gramados por todo mundo, não só o racismo, mas todo tipo de descriminação, pois não passam do reflexo da sociedade capitalista que orquestra e incentiva todas essas imoralidades e agressões para a população.

Enquanto pregam a “igualdade entre as raças” em frente às câmeras, praticam a segregação e desamparam o jovem negro e pobre, que é a maior vítima. As pesquisas nos mostram que nenhum outro é mais assassinado, descriminado e segregado quando o jovem negro e isso, consequentemente, o deixa de frente para o crime, pois não dão oportunidades e ensino para que a vida da maioria seja diferente.

Tinga é espelho para milhões de brasileiros, assim como Ronaldinho Gaúcho, Neymar, Romário e tantos outros que rumaram para o futebol para serem aceitos e para não caírem nas mãos do crime, porém, na mesma proporção, mais jovens dentro, e principalmente, fora dos campos, serão chamados de “macacos” e afins, pois essa lástima só acabará 
somente quando a classe operária conquistar, a verdadeira igualdade, a sociedade sem classes, a sociedade Socialista!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com