quinta-feira, 25 de abril de 2013

Greve e Ocupação na UNESP de Marília



A luta por permanência estudantil aqui no Campus da UNESP de Marilia começou neste ano logo no inicio das aulas. Na semana passada tivemos a paralisação das atividades discentes por um dia, e durante a paralisação tiramos um indicativo de greve estudantil e ocupação do prédio da diretoria da unidade.
Este indicativo entrou como ponto de pauta na assembleia estudantil que se realizou na terça-feira (23/04), assembleia esta que tinha aproximadamente 500 alunos presentes e 80% decidiu por greve e ocupação. Pois assim fizemos, terminamos a assembleia, abrimos e ocupamos o prédio da direção e logo pela manhã fizemos “pickets” nas estradas dos prédios de aula para que a greve fosse garantida.


Já no primeiro dia de greve começamos a sentir as pressões para desocupar e voltar ás atividades normais de aula. O reitor da UNESP disse que enquanto houver greve e ocupação, ele não virá até Marilia para negociar nossas pautas de reivindicação. Pois bem, nós alunos “batemos o pé” e dissemos que enquanto ele não vir até Marília negociar, nós seguimos com a greve e ocupação.

Outro fator de pressão é que o diretor do Campus da UNESP de Marília (Prof. José Carlos), junto com o sindicato dos professores e funcionários organizou um lockout. Os sindicatos se reuniram com os funcionários e professores e em assembleia decidiram que enquanto a greve e a ocupação seguir, o R.U., e os setores administrativos e financeiros não funcionam, os trabalhadores não irão desempenhar suas funções.

Diante disso, processos de concursos, pagamento de bolsas, pagamento de salários e renovação de contratos com professores, ficarão todos parados. Mesmo com todos esses transtornos iremos seguir o movimento, pois se reitor e diretor estivessem preocupados com as nossas demandas e com esses serviços burocráticos não teriam feito um lockout e já teriam atendido as nossas reivindicações.

Pautas de Reivindicação:

*Aumento do número de refeições do R.U. (Restaurante Universitário);
*Aumento no número de vagas da Moradia Estudantil;
*Aumento no valor e no número de bolsas de assistência econômica;

Tales de Freitas – Estudante do Primeiro Ano de Ciências Sociais – UNESP Marília e militante da Juventude Marxista de Bauru SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com