quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Monti provoca revolta ao mandar jovens se acostumarem com trabalho precário

Em entrevista, premiê diz que 'trabalhar sempre no mesmo lugar é monótono'

O primeiro-ministro italiano Mario Monti provocou polêmica durante uma entrevista a um programa de TV ao afirmar que os jovens de seu país deveriam “se acostumar a não ter um posto de trabalho fixo” por toda a vida e que, além disso “trabalhar sempre no mesmo lugar é monótono”. A declaração foi seguida de duras críticas dos italianos nas redes sociais, especialmente os jovens.


O burocrata italiano participou nesta quarta-feira (01/02) do programa Matrix, no Canal 5, onde falou sobre a reforma trabalhista que está articulando. “Que monotonia! É muito mais bonito mudar e aceitar novos desafios”, afirmou.

Protestos

Como é fácil alguém falar isso quando, não importa o que faça, seguirá sendo senador vitalício”, foi uma das frases mais compartilhadas no microblog Twitter. É uma referência ao premiê que, quando deixar a chefia de governo, assumirá esse cargo, com um salário mensal próximo a 15 mil euros. As hashtags #monotonia e #postofisso (posto fixo, em italiano) foi muito mencionada entre os usuários italianos.

Uma jovem, que assina Mara, protestou tentou explicar a Monti a importância de uma carteira assinada. “Os bancos não me dão uma hipoteca nem me farão um empréstimo se eu não tiver um trabalho fixo. Isso sim é monótono, sabia?”.

Querido professor, essa de monotonia no trabalho não podemos ouvir. Digo o mesmo pensando nas famílias com pais desempregados e filhos com contratos de trabalho precários”, diz um comentário publicado na página digital do La Repubblica. No mesmo jornal, um jovem ironiza: “Querido Monti, eu gostaria muito da monotonia de um trabalho que me ofereça segurança”.

Muitos dos comentários também pediram “o fim de cargos fixos” e “instabilidade laboral” para os políticos.

Fonte: Opera Mundi

NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS
Twitter: @Juv_Marxista
Facebook. Clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com