segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Rita Lee chama de cachorros a polícia de Marcelo Deda


Rita Lee fazia um show no Festival de Verão de Aracaju e diante da ostensiva ação da PM que revistava os fãs presentes no evento, se indignou e saltou dos tamancos. Desatou o verbo contra a repressão. Fez um inflamado discurso contra a ação policial e acabou sendo presa ao final. Foi acusada de desacato e apologia ao crime e depois liberada.

No momento que Rita chamava os policiais de "cachorros", Marcelo Deda, governador do estado, se retirou do espetáculo. Certamente em solidariedade aos seus comandados. 

Apesar da cantora escorregar na rampa ao chamar as pessoas para fumarem um "baseadinho", não podemos deixar de condenar sua prisão e apoiar seu discurso contra a repressão. A ação policial expressa exatamente como o poder vê a arte e como trata a questão das drogas. O artista sob o capitalismo jamais poderá se expressar livremente. A juventude e a humanidade não poderão florescer sob a opressão do capital e de seu aparato repressivo.  

A presença ostensiva e as ações brutais da policia em shows e em qualquer questão da vida cotidiana, revela sempre a face e o papel repressor do Estado, que mesmo sendo um estado governado por um petista, segue sendo um estado capitalista e que sua policia é sempre seu braço armado que, e em geral, se lança contra a juventude, prendendo, batendo e matando!

Polícia, pra quem precisa!
Capitalismo, para quem precisa!
Valeu Rita! 


NOSSAS MÍDIAS SOCIAIS
Twitter: @Juv_Marxista
Facebook. Clique aqui



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com