sábado, 28 de janeiro de 2012

Declaração em defesa da ocupação e dos moradores do Pinheirinho

Todos na defesa do Pinheirinho! Fora militares invasores! A terra é daqueles que nela vivem, moram e trabalham!

Temos visto uma ofensiva da repressão e criminalização dos movimentos sociais no Estado de São Paulo. São exemplos recentes disso a presença da Polícia Militar na USP reprimindo o movimento estudantil e também a política de “higienização” na região da Luz, no Centro da cidade de São Paulo, comandada pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD) com o apoio da PM do governador Alckmin (PSDB) a serviço da especulação imobiliária, reprimindo e não ajudando os dependentes de crack presentes no local, sem resolver em nada o problema da falta de moradia para os milhares que dela necessitam. A ordem é criminalizar e reprimir!

Agora, mais uma ação violenta chocou o país. Para defender os interesses do mega especulador Naji Nahas, a Polícia Militar do Estado e a Guarda Municipal de São José dos Campos, atacaram barbaramente os moradores da ocupação Pinheirinho colocando milhares de trabalhadores e suas famílias na rua. O governador Alckmin e o prefeito Cury, ambos do PSDB, são comandantes supremos da Polícia Militar do Estado e da Guarda Municipal de São José, portanto são os responsáveis diretos por essa violenta repressão.


É necessário por fim nesta escalada de terror!

A justa luta dos trabalhadores e moradores do Pinheirinho deve ser apoiada por todos os que lutam pela democracia e pelo socialismo.

Nós repudiamos a ação policial contra todos estes movimentos e contra toda luta dos trabalhadores. Exigimos a retirada das tropas do Pinheirinho e a imediata volta dos moradores para a área por eles ocupada há 8 anos.

A reintegração de posse da área do Pinheirinho foi antes suspensa por medida e ato do governo federal. As ações desenvolvidas por vários parlamentares, dentre os quais vários do PT, a interferência do secretário do governo federal, Paulo Maldos (que foi ferido por bala de borracha da polícia de Alckmin), o acordo de suspensão da reintegração, tudo foi ignorado e a truculência predominou e passou por cima de todas as tentativas de resolver pacificamente a questão, ferindo e prendendo dezenas de moradores que apenas lutam por um pedaço de chão e por um teto para seus familiares.

Unidade para vencer

É preciso construir a frente única em defesa do Pinheirinho. Ações isoladas e sectárias impedem a unidade na defesa do movimento, divide a população e isola a luta de seus legítimos ocupantes. Toda ajuda deve ser bem vinda e comemorada pelos moradores.

Não temos nenhuma ilusão de que a justiça irá favorecer os moradores sem uma ampla e geral mobilização. Também não temos ilusão de que a reforma agrária será conquistada dentro do capitalismo e sob um Estado burguês em qualquer país dependente e atrasado como é o caso do Brasil. A mesma questão se coloca para a defesa do direito à cidade e às terras urbanas. As lutas as conquistarão.

Nosso combate é contra a burguesia e o imperialismo, na defesa da reforma agrária e urbana, contra a repressão do Estado burguês e pelo fim da propriedade privada dos grandes meios de produção. Lutamos por um governo socialista dos trabalhadores!

Como socialistas, militantes da Esquerda Marxista (corrente interna do PT e da CUT), estamos juntos na luta com os moradores do Pinheirinho e por isso estavam lá, lado a lado, ombro a ombro, os nossos camaradas dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores Vidreiros no Estado de São Paulo, que enfrentaram junto com os moradores, cara a cara a repressão sem se esgueirarem por detrás de nenhuma verborragia radical proferida longe do campo de batalha.

Nos dirigimos às principais lideranças da CUT e do PT, e a todos que se reivindicam da democracia e do socialismo para que intercedam junto ao governo Dilma para que ela garanta a moradia aos ocupantes do Pinheirinho.

Pinheirinho de volta aos moradores!
Fora PM e Guarda Municipal!
Fim das prisões e perseguições!
Viva a luta pela terra e pela moradia!

Esquerda MARXISTA
27 de janeiro de 2012. São Paulo

Adilson Mariano - vereador PT Joinville – SC

Álvaro Alves (Bambu) - Executiva da Confederação Nacional - Químicos – CUT

João Diego Leite - Coordenador Nacional da Juventude Marxista - SC

Caio Dezorzi - DM PT Capital - SP

Clarice Erhardt – Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina - SC

Fernando Leal – do Sindicato dos Petroleiros – RJ
   
José Carlos Miranda – da Executiva PT Caieiras – SP

José Guido Brito – da Executiva do Sindicato Vidreiros – SP

Roque Ferreira - vereador PT Bauru - SP

Serge Goulart - da DN PT

Severino Nascimento – da Direção Nacional CUT e Sindquimica – PE

Verivaldo Mota – da Executiva do Sindicato dos Vidreiros – SP

Ulrich Beathalter- Sindicato dos Servidores Municipais de Joinville - SC

Daison Roberto Colzani - Presidente do DCE da Univille - Joinville

Francine Hellmann- Coordenadora da Juventude do Partido dos Trabalhadores de Joinville - SC

Nicolas Marcos - Presidente da União Joinvilense dos Estudantes Secundaristas (Ujes) - SC

Mayara Inês Colzani - Diretora de Políticas e Movimentos Sociais do Diretório Acadêmico Nove De Março (DANMA- UDESC)

Josenildo Vieira de Mello- Sinduprom- PE

Alexandre Mandl- advogado da fábrica ocupada Flaskô – Sumaré - SP

Rafael Prata – bancário – Campinas - SP

Fabio Ramirez – Juventude Marxista – Cuiabá – MT

Almir da Silva Lima – petista e Jornalista - Macaé – RJ

Rosangela Soldatelli – SINTRASEM- Florianópolis – SC


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com