domingo, 25 de dezembro de 2011

NOTA: O natal não tem origem cristã




No dia 23/12, demos início a postagens no nosso perfil do Facebook sobre a temática "natal". Iniciamos esta série de publicação de imagens com uma em especial (ver foto abaixo) que continha o título "O natal não tem origens cristãs". Algumas pessoas gentilmente compartilharam essa imagem conosco. Destas, observamos que algumas receberam comentários rebatendo a afirmação citada. Alguns que compartilharam, inclusive, foram acusados de cometer "blasfêmia".

Publicamos esta nota para esclarecer melhor nossa posição. Não temos a intencionalidade de insultar a religiosidade das pessoas. De nossa parte esclarecemos que a última coisa que desejamos é ferir o direito democrático, tão duramente conquistado, de cada um poder praticar a sua religião. Mas em momento algum consideramos a possibilidade da nossa afirmação ter desrespeitado a religiosidade dos nossos amigos cristãos.

Nos baseamos, em primeiro lugar, na Bíblia, literatura mais importante do cristianismo. Até aonde alcança o conhecimento dos editores que aqui redigem este texto, não há menção alguma neste livro de que Jesus teria nascido no dia 25 de dezembro. E dizer isso não é desqualificar a simbologia do nascimento de Jesus para os cristãos.


É com o objetivo de promover o nosso argumento que também apresentamos acima um vídeo onde uma liderança religiosa cristã, trajando até mesmo roupas sacerdotais mais tradicionais, afirma numa entrevista a mesma informação que reproduzimos anteriormente: "o natal não tem origens cristãs".



O que nos parece mais provável é que a igreja cristã tenha escolhido esta data (25/12) não por acaso, mas para sufocar festividades por ela consideradas "pagãs", que se realizavam neste dia, num longo processo de cristianização destas culturas. Razão pela qual determinou o dia 25/12 como data comemorativa do nascimento de Jesus.

Outro assunto da campanha de divulgação de imagens sobre o natal no nosso perfil do Facebook foi a denuncia do simbolismo consumista encerrada na imagem do "Papai Noel". Uma vez que este personagem é o SÍMBOLO SUPREMO da coerção ideológica contra as crianças e famílias de trabalhadores e a favor do mercado. Isto é, grandes empresas que ditam quais devem ser nossas necessidades. Por isso repudiamos esta figura supersticiosa que visa implantar desde muito cedo nos nossos jovens a domesticação deles ao fetichismo da mercadoria. Elemento fundamental para que continuemos acorrentados ao modo de vida capitalista.

Não desanime e não desista,
vamos juntos lutar por um mundo socialista!

Boas festas! E feliz 2012!

Juventude MARXISTA
Twitter: @ Juv_Marxista
Facebook. Clique aqui


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com