terça-feira, 8 de novembro de 2011

A UNE não pode deixar a FIFA recortar nosso direito a meia entrada


A realização da Copa do Mundo no Brasil toca em diversas questões sociais. Discutiremos aqui um direito que está sob bombardeio, a meia entrada para estudantes. Ela é uma conquista desde a década de 40 para garantir a formação acadêmica e cultural da juventude pobre com dificuldade para complementar sua formação cultural. 

O ESTATUTO DA JUVENTUDE E A LEI GERAL DA COPA 

Até agora, a meia entrada foi regulamentada apenas por leis estaduais e municipais. Contudo, hoje está em tramitação no Congresso Nacional o Estatuto da Juventude, uma lei federal com itens sobre o tema. O texto que foi aprovado na Câmara Federal em outubro traz o que precisamos: uniformização da meia entrada em todo o território nacional. Mas ele ainda precisa passar pela aprovação no Senado e sanção da Presidenta Dilma. Por enquanto, o debate sobre este direito também está em discussão na Comissão Especial que analisa a Lei Geral da Copa (PL 2330/11). 

FIFA X JUVENTUDE BRASILEIRA

Choveram denúncias na imprensa de que a FIFA tem assumido postura arrogante, altiva e pretensiosa diante do Brasil. Querendo ela decidir quais leis poderiam valer durante a Copa, assim demonstrando desrespeito na interlocução com o nosso governo. A meia entrada entrou em evidência desde então. 

A Folha de São Paulo (07/10) divulgou uma previsão de prejuízo de R$ 180 milhões para a Copa por conta da meia entrada. Mas perguntamos afinal, qual credibilidade possui o argumento sobre prejuízos, como alega a FIFA, quando se trata de um evento com um lucro previsto de R$ 7,5 bilhões? Segundo esses valores, a meia entrada não fará tanta diferença, logo é falso afirmar que a FIFA terá prejuízo. 


A BURGUESIA NÃO FICARÁ SATISFEITA. ELA VAI QUERER O BRAÇO INTEIRO 

A verdade o que a FIFA e parte da mídia querem é abrir um precedente para atacar este nosso direito em todas as escalas. Se deixarmos essa idéia virar moda, logo outros empresários também se animarão em querer pegar uma carona com a FIFA. Logo todos alegarão “prejuízos”, como se não bastassem os atuais valores de meia entrada custarem o preço de inteira, e o preço da inteira custar o dobro. 

NA POLÍTICA E NO FUTEBOL A MELHOR DEFESA É O ATAQUE 

Temos hoje no Congresso duas leis em análise sobre a meia entrada (Estatuto da Juventude e Lei Geral da Copa). Sendo assim, não podemos aceitar nem mesmo uma cota limitada de ingressos com meia entrada como já ocorre em SP (somente 30% dos ingressos). Isso também seria ceder à pressão da FIFA, pois isso significa limitar nosso direito histórico. 

Vamos resistir! E temos a Presidenta Dilma ao nosso lado, que já declarou que não aceitará redução de direitos sociais. Além disso, sabemos que não se alcançam novas vitórias sem antes conseguir defender as velhas conquistas. Por tudo isso convidamos os estudantes para enfrentar essa batalha e começar a Copa com 1 X 0 contra a FIFA. Queremos a federalização do direito à meia entrada para os estudantes, sem limitação e sem cotas de restrição. 

Dia 09/11 haverá reunião da Diretoria da UNE em que se pautará a Lei Geral da Copa. Nossa defesa é que este direito é “inegociável”. Os estudantes não querem nenhum acordo que recorte nosso direito. 

Este texto foi escrito como uma contribuição da Juventude Marxista ao debate dos estudantes agrupados na Juventude do Partido dos Trabalhadores de Duque de Caxias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com