segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Estudantes colombianos protestam contra privatização da educação


 Em Bogotá, os jovens iniciaram os protestos com um “abraço” ao redor dos centros educativos, para posteriormente caminharem por diferentes ruas até a Praça Bolívar. Além dos estudantes, trabalhadores também se juntaram às manifestações.

Estudantes colombianos das universidades públicas e privadas realizaram na quarta-feira (26/10) uma nova jornada de mobilizações e protestos em toda o país, em repúdio à reforma do ensino superior promovida pelo governo.

Os estudantes rejeitam a reforma, não só porque ela não leva em conta a opinião do setor, como também porque considera que ela provoca uma privatização do ensino superior. O governo, por sua vez, insiste que, apesar dos protestos, não retirará o projeto – apresentado no Congresso.


Para o porta-voz dos estudantes da Universidade Jorge Tadeo Lozano, Jonathan Martínez, a nova lei, se aprovada, prejudica as universidades tanto públicas como privadas econômica e profissionalmente.

Já Juan Sebastián López, da Universidade Externado da Colômbia, entidade de caráter privado com sede em Bogotá, destacou a vinculação das universidades privadas a estas jornadas. “Sempre almejamos o que hoje está acontecendo: a existência de um só movimento estudantil na Colômbia, onde estamos todos como um só”, assinalou.

Texto construído a partir de informações dos sites Opera Mundi e UNE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com