quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Escola de referência só no papel

O atual governador de Pernambuco, Eduardo campos, implantou em meados de 2005 as escolas de referência, com a promessa de ser uma escola modelo.

Hoje, sete anos após o inicio desse projeto, vemos problemas, a grande maioria dessas escolas não são totalmente integrais, como propunha o governador, os alunos ficam apenas dois dias integralmente na escola. Além disso, não se possui uma estrutura para suportar a integralidade que o sistema cobra. 

Na escola em que eu estudo desde o início do programa, o governo prometeu a reforma da quadra de esportes, reformas dos banheiros, bebedouros, laboratório de química, física e matemática. Até agora pouca coisa foi feita. A quadra é um caco, sem cobertura! O que obriga o professor de educação física cortar algumas aulas, pois não tem condição de alguém fazer exercícios num sol forte como temos aqui. Também não existem aulas extracurriculares como curso de informática, musica e etc.

O meu objetivo com este texto não é culpar a direção da escola, que não está cobrando do estado, mas sim mostrar que as escolas de referências não são as maravilhas que falam! Quero mostrar, que o governador se esqueceu das escolas! O que me faz achar que esse projeto não passou de uma jogada política para a reeleição do governador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com