segunda-feira, 24 de março de 2008

Revolução é vaga para todos e socialismo!

Em seu programa semanal de rádio o presidente Lula afirmou que esta fazendo uma “pequena revolução na educação”, se referindo ao REUNI disse que “O que é importante é que nós vamos, a partir deste ano, colocar aproximadamente 100 mil novos alunos nas universidades federais, seja nos cursos noturnos, ou seja pelo fato de aumentar o número de alunos por professores de 12 para 18" (OESP 17/03).
No mesmo programa o presidente comemorava que o PROUNI, que possui cerca de 300 mil alunos, poderá aumentar ainda 60 mil novos alunos até o fim desse ano. Os cerca de 400 mil novos alunos inclusos na universidade durante todo o mandato de Lula (a maioria em particulares), o presidente classifica de “revolução”?!

Só em São Paulo o número de jovens que ficam fora da universidade, não porque não são os melhores como o capitalismo tenta nos convencer, mas por não ter vagas suficientes para todos, é imensamente maior do que os números que o presidente chama de revolução.

A verdade é que milhares de jovens continuam saindo do ensino médio e sendo despejados direto no mercado de trabalho como mão-de-obra barata, sem qualificação universitária e técnica. Os programas do governo como o PROUNI e o REUNI não resolvem os problemas de criação de vagas para os filhos da classe trabalhadora. Pois o seu objetivo central é trabalhar a impressão de democratização no acesso a universidade, com a criação de algumas vagas sem precisar de grandes investimentos nas universidades.

Enquanto isso os donos das faculdades pagas comemoram com os programas como o PROUNI e o FIES, que são garantia de dinheiro no bolso dos empresários da educação e de salas cheias. Ao mesmo tempo, a universidade pública chora com os programas como o REUNI e a Reforma Universitária.

O pequeno aumento das vagas no ensino superior comemorada por Lula vem a preço da destruição da qualidade de ensino nas federais. Aumenta-se os alunos, mas não se aumenta na mesma proporção a estrutura de ensino, o nº de professores e servidores, de bibliotecas e laboratórios... Vem a preço da Reforma Universitária, que aos poucos vai tirando o papel do governo custear a educação superior, passando-a para o setor privado através de parcerias e fundações, isso é privatização! Vem a preço da isenção das privadas de pagarem milhões de impostos que poderiam ser usadas para criar mais vagas nas públicas.

A única revolução que interessa aos milhões de jovens que continuam fora da universidade é uma vaga para estudar e poder um futuro melhor. Mas isso só é possível de fato com a transformação das universidades privadas em instituições públicas, derrubando suas concessões, é preciso que o governo pare de destinar milhões de reais aos capitalistas através da divida interna e externa, e destine esse dinheiro para a construção de universidades em todo o país.

É preciso o fim do vestibular e vagas para todos na universidade, isso é possível, temos exemplos em Cuba e na Venezuela. E a única arma que temos para exigir que Lula governe para o povo e a juventude é nossa organização. A começar pelas entidades que os estudantes construíram para fazerem suas lutas, como a UNE, os DCE’s e os Centros Acadêmicos.

É hora de organização, venha para a JR e ajude a construir a luta pela verdadeira revolução: vagas para todos e socialismo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com