sábado, 7 de fevereiro de 2004

IRAQUE: Pelo fim da ocupação! Continuar a mobilização!

• Pela retirada das tropas dos EUA e da Inglaterra do Iraque!
• Abaixo a guerra! Abaixo a exploração!

O horror no Iraque é mostrado pelas imagens dos jornais e TVs. Agora o que Bush e Blair querem é impor pelo tacão de ferro a divisão da nação iraquiana. Os objetivos claros: controlar a riquezas nacionais do Iraque (petróleo e água) e dividir o país entre máfias como foi feito no Afeganistão e em Kosovo (ex-Iugoslávia).


Segundo informações da BBC de Londres, o ataque e a ocupação da nação iraquiana custaram mais de 20 bilhões de dólares. Bilhões e bilhões para a destruição. Dinheiro que deveria ser para saúde pública, para criação de empregos e para educação. Nos EUA, no Brasil e em todo o mundo as passeatas e mobilizações continuam. A luta não vai parar até a retirada total das tropas de Bush e Blair do Iraque, até que o povo iraquiano seja dono de seu próprio destino e que defina a forma e conteúdo de seu futuro.

Como afirmou um sindicalista portuário dos EUA coordenador do Comitê de Ação Contra a Guerra: "Essa guerra não tem nada a ver com democracia, com o terminar com o terrorismo, com armas químicas ou de destruição de massa. Essa guerra é para controlar as reservas petrolíferas do Iraque, controlar o Oriente Médio e dar bilhões para às empresas dos EUA para reconstruir o que os governos norte-americanos e britânicos destruíram".

No dia 18/4 em Bagdá realizou-se uma mobilização de dezenas de milhares de manifestantes contra a ocupação. Segundo a Agência Reuters uma grande faixa era erguida dirigida as tropas de ocupação: "Deixem nosso país, nós queremos paz".

A LUTA CONTINUA ATÉ O FIM DA OCUPAÇÃO

Em todos os cantos do Brasil a Juventude Revolução (JR) tem participado ativamente da luta contra a guerra.

Na cidade de São Paulo (SP), a JR impulsionou a construção em Janeiro do Comitê Juventude Contra a Guerra junto com os companheiros da Juventude do PT, UJS, UJR, JPCML entre outras 25 organizações de jovens e entidades estudantis. O Comitê realizou no dia 22/3 na Praça da Sé o Festival Juventude Contra a Guerra com a participação de mais de 16 bandas, incluindo os Racionais MCs. No festival participaram mais de 3.000 jovens e trabalhadores.

Em Natal (RN), os companheiros da JR organizaram junto com os grêmios estudantis nas escolas uma grande manifestação no centro de no dia 28/3.

Em Joinville (SC), a Juventude Revolução em conjunto com Centros Acadêmicos ajudou na organização junto com de uma grande manifestação no dia 27. No ato estiveram presentes os trabalhadores da Cipla/Interfibra com uma grande faixa dizendo: "Parem a guerra! Ela mata lá e desemprega aqui".

Na cidade de Arapiraca (AL) a companheirada da JR realizou com as entidades estudantis a uma jornada pela paz e contra a guerra com lema "Livros sim, bombas não".

No Rio de Janeiro (RJ) a Juventude Revolução estava presente na manifestação contra a guerra no dia 4/4. Junto com mais de 3.000 estudantes e trabalhadores em alto e bom som levantavam palavras de ordem contra a guerra: "Dívida Externa não vou pagar, pra jogar bomba em Bagdá!" e "Chega de bomba, chega de ataque, fora o imperialismo no Iraque!". Como disse uma estudante secundaria: "Não será com bombardeios que iremos alcançar a paz entre os povos e nem acabar com as desigualdades sociais".

No Rio Grande do Sul, na cidade de Camaquã, a JR participou da manifestação no 4 de abril. O protesto durou mais de 10 horas com marchas e concentrações em vários pontos da cidade. Mais de duas mil pessoas estiveram presentes. Os companheiros da Juventude Revolução de Camaquã organizaram uma banca e coletaram centenas de adesões ao manifesto da Internacional Revolucionária da Juventude (IRJ) contra a guerra.

Em Jacareí, no interior de SP, a Juventude Revolução está engajada na organização do comitê de Jovens Contra a Guerra junto com grupos de Hip-Hop e do PT.

NÃO! NÃO VAMOS PARAR ATÉ A OCUPAÇÃO ACABAR

A ocupação do Iraque é um crime. Querem roubar as riquezas de um povo. Essa guerra é pela exploração dos povos. Hoje é o Iraque, já ameaçam a Síria e o Irã. Ao mesmo tempo a pressão do EUA pela Área de Livre Comércio das Américas (ALCA) aumenta, como uma declaração de guerra contra os direitos e conquistas dos trabalhadores. Nas Américas o mesmo grito contra a guerra diz não a ALCA. É essa a guerra que os capitalistas travam para aumentar sua exploração contra os povos. Contra exploração só a organização do explorados e oprimidos pela emancipação dos trabalhadores. Queremos ter em nossas mãos um futuro diferente, um futuro de verdade, por isso nossa luta continua até o fim das guerras e da exploração.

A Juventude Revolução chama toda a juventude a unir e se organizar. Junte-se a nós nessa luta. Organize-se e participe das atividades da JR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com