sexta-feira, 20 de fevereiro de 2004

Apoio aos trabalhadores da Flakpet (Itapevi-SP)

Caros companheiros e companheiras,

Damos conhecimento da Carta aberta ao Povo de Itapevi (SP), do Conselho de Fábrica da Flakpet. Ela explica a luta para garantir 143 postos de trabalho que eles levam desde 9 de dezembro quando decidiram ocupar a fábrica. Agora eles sofrem a ameaça de reintegração de posse com o pedido feito pelo patrão, Sr. Maurício Nogutte, no dia 12 de fevereiro. Em entrevista com a juíza do Forum de Itapevi, numa comissão composta por vereadores do PT da região, dirigentes sindicais e trabalhadores da fábrica, no dia 19/02, a juíza informou que deverá conceder a liminar de reintegração. Estamos propondo uma campanha, através de fax à juiza, contra a liminar, atendendo ao apelo dos trabalhadores da Flakpet (os dados para o envio de fax estão abaixo).


Pedimos a todos que ajudem neste luta.

Misa Boito
Membro da Executiva do PT-SP e do Comitê de Apoio aos Trabalhadores da Flakpet

_______________________________

CARTA ABERTA AO POVO DE ITAPEVI

Companheiros e Companheiras,

No dia 9 de dezembro os trabalhadores da Flakpet (empresa de reciclagem com 143 trabalhadores) decidiram em assembléia ocupar a fábrica. Fomos levados a esta decisão porque desde outubro a fábrica estava parada e nossos salários não eram pagos. O patrão, Sr.Maurício Nogutte, alegou prejuízos, parou a produção e mandou os trabalhadores,sem salário, ficarem aguardando uma solução. O patrão deu o calote nos trabalhadores e se recusou, durante todo este tempo, abrir qualquer negociação e pagar o que nos deve. O patrão deve aos trabalhadores, deve ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento), deve a vários fornecedores. Nós, não sem dificuldades, estamos conseguindo aos poucos colocar a fábrica em condição de retomar plenamente a produção. Agora o patrão, o Sr Maurício Nogutte, entrou com pedido de reintegração de posse alegando uma série de calúnias ameaçando inclusive o uso de força policial. Todos nós estamos vendo o drama do desemprego no Brasil e sabemos que cada posto de trabalho perdido é mais um pai, mais uma mãe, um jovem, jogados ao desespero de não ter o que comer, não ter como pagar moradia, remédios, enfim não ter como garantir a sobrevivência sua e de sua família. Por isso nós vamos continuar nossa luta e pedimos seu apoio.

Já conseguimos muitos apoios. Dos conselhos de outras fábricas ocupadas,de vários outros sindicatos, de vereadores da região, da CUT Nacional e dirigentes partidários. Temos certeza que podemos contar com o apoio da população de Itapevi. Precisamos de seu apoio para nossa luta porque sabemos que, diante da irresponsabilidade do patrão, diante de seu desprezo pelo sofrimento nosso e de nossas famílias, só temos este caminho a seguir: manter a fábrica ocupada e controlar a produção. Nós conseguimos marcar uma audiência no dia, 3 de março, com o BNDES para discutir a situação da empresa que é devedora deste banco do governo, onde vamos exigir a estatização. Com os Conselhos das fábricas Cipla/Interfibra (Joinville/SC) e Flaskô (Sumaré/SP) estamos pedindo uma audiência com o presidente Lula para o mês de abril. Nós queremos garantir o emprego, os salários e os direitos para todos os trabalhadores da Flakpet

Contamos com seu apoio para impedir que o patrão jogue na rua mais 143 trabalhadores, aumentando o drama do desemprego no
Brasil.

Itapevi, 18 de fevereiro, 2004

CONSELHO DE FÁBRICA DA FLAKPET
(eleito pelos trabalhadores)



_______________________________




Enviar moção:

Forum de Itapevi
Juiza Substituta Carolina Conti Reed
Fax (11) 41.41.23.70




MODELO:

[ cidade ], [ dia] de fevereiro de 2004


À Meritíssima Juiza Substituta Carolina Conti Reed,


Envio esta presente carta para expressar minha solidariedade ao trabalhadores da Flakpet, industria de reciclagem da cidade de Itapevi que se encontra sobre controle dos trabalhadores.

Por meio desta me dirijo a Meritíssima Juiza pela NÃO À REINTEGRAÇÃO DA FLAKPET AOS PATRÕES que somente atacaram direitos e garantias dos trabalhadores.

Os trabalhadores desta empresa estão lutando pelos seus empregos e pelo sustento de suas famílias. Portanto o interesse social se sobrepõe ao interesse dos donos que não cumpriram a sua parte em relação aos direitos destes mesmos trabalhadores.

Senhora juíza por favor, não conceda a liminar, garanta o direito dos trabalhadores em lutar pelos seus empregos e ter restituídos os seus direitos.


[ Nome ]
[ Entidade ]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos serão excluídos, identifique-se. Se preferir entre em contato pelo e-mail: juventudemarxista@gmail.com